Berlusconi diz que "checou" e ainda tem maioria no Parlamento

Oposição alega que primeiro-ministro não é capaz de tirar o país da crise econômica

Reuters |

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou neste domingo que ele havia "checado nas últimas horas" e que não havia dúvidas de que ele ainda possuía maioria no Parlamento. Diversos deputados de centro-direita disseram que consideravam abandonar o premiê antes da votação sobre as finanças públicas na terça-feira, que pode derrubar o governo.

Leia também: Milhares de italianos saem às ruas para pedir renúncia de Berlusconi

Reuters
Italianos foram às ruas neste sábado para pedir a saída de Berlusconi
Mas Berlusconi mostrou a sua confiança característica ao fazer comentários por telefone durante um encontro de aliados. "Nós checamos nas últimas horas, os números estão certos," disse ele.

Berlusconi também rejeitou rumores de que ele seria substituído por um governo tecnocrata não eleito ou outra administração com apoio de todas as forças do Parlamento.

"A única alternativa a este governo seriam eleições," afirmou.

Em outros comentários, ele disse que cancelaria as visitas trimestrais do Fundo Monetário Internacional para checar o progresso de Roma em adotar as reformas prometidas quando ele quisesse.

"O pedido (para o FMI vir) veio de nós e podemos retirá-lo quando quisermos," afirmou.

    Leia tudo sobre: ITáLIABERLUSCONI

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG