Roma, 12 fev (EFE).- O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou que ajudará o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a reforçar tropas no Afeganistão, informa hoje a imprensa local e que ele pediu uma mão aos países aliados.

Berlusconi citou, entre outras razões, o fato de que "nos próximos meses" estão previstas as eleições no Afeganistão, o que aumenta a necessidade de segurança.

Segundo Berlusconi, em período eleitoral, todos devem estar unidos para fazer com que a votação seja "segura e democrática".

De acordo com Berlusconi, Obama é uma pessoa "informada", que conhece "todos os temas da política internacional muito bem e raciocina", por isso cabe pensar que as "esperanças" postas nele podem se transformar na realidade.

Quanto a seu recente desencontro com o presidente italiano, Giorgio Napolitano, sobre a eutanásia de Eluana Englaro, que morreu na segunda-feira ao parar de receber alimentação e hidratação que a mantiveram viva por 17 anos em estado vegetativo, Berlusconi declarou não tê-lo atacado e de que não há "nada mais falso" que essa acusação.

O Governo italiano tentou aprovar um projeto de lei para impedir a morte de Eluana depois que Napolitano se negou a assinar um decreto de Berlusconi com este objetivo. EFE fab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.