Berlusconi critica TV pública por ataques ao governo

Por Deepa Babington ROMA (Reuters) - O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse nesta segunda-feira que é inaceitável que a televisão estatal critique o governo, e atacou um jornal de inclinação esquerdista que tem publicado artigos destacados sobre a vida sexual do premiê.

Reuters |

Berlusconi, cujo império é dono dos principais canais independentes de TV da Itália, afirmou que a rede estatal RAI sempre esteve contra ele.

"Eu poderia dizer o que a maioria dos italianos pensa, que é inaceitável que a televisão pública, paga por eles, seja a única TV pública que está sempre contra o governo", disse à rádio RAI.

Além de deter a poderosa rede Mediaset, Berlusconi tem ampla maioria no Parlamento que aponta os membros do conselho da RAI --posição que, para seus críticos, lhe dá poder demais sobre a mídia.

Ele atacou o La Reppublica, jornal que tem prendido a atenção dos italianos com narrativas eróticas de participantes das festas do primeiro-ministro e com uma lista diária de 10 perguntas para Berlusconi.

"A única coisa que parece fora do lugar, para mim, é um certo tipo de jornalismo", disse Berlusconi, em resposta a uma pergunta sobre os artigos do La Reppublica que sugerem que agentes do serviço secreto italiano atuaram "fora de sua jurisdição" durante suas investigações.

O líder da oposição de centro-esquerda, Dario Franceschini, falou que a crítica de Berlusconi à RAI é a "prova mais recente de que a intenção dele é usar sua força econômica e o poder de quem quer que esteja no governo para condicionar e intimidar todas as vozes livres".

Até aqui, no entanto, a oposição não lucrou muito com os escândalos de Berlusconi. Pesquisas mostram que sua popularidade caiu nos últimos meses, mas ele ainda mantém 49 por cento de apoio apesar da pior crise econômica no país desde a 2a Guerra Mundial e do barulho da mídia sobre sua vida pessoal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG