Perturbado neste sábado na Alemanha por uma chamada telefônica no início da cúpula da Otan, apesar de ter uma boa desculpa, a de uma ligação de seu colega turco, segundo fontes italianas, Silvio Berlusconi foi fiel à sua imagem de rei das gafes protocolares.

Ao chegar à cidade alemã de Kehl, o primeiro-ministro italiano, com celular colado ao ouvido, se recusou a avançar na direção da chanceler Angela Merkel que o esperava sobre o tapete vermelho, preferindo continuar a conversa.

Segundo fontes italianas, ele estaria falando com o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, sobre sua oposição à nomeação do primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, para secretário-geral da Otan.

jflm/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.