os italianos me querem como sou e não vou mudar - Mundo - iG" /

Berlusconi: os italianos me querem como sou e não vou mudar

O multimilionário chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi, defendeu-se nesta quinta-feira ante a imprensa afirmando que os italianos me querem como eu sou, e não vou mudar. O premiê é investigado por envolvimento em uma série de escândalos revelando sua polêmica vida privada.

AFP |

AP

Em meio aos escândalos, Berlusconi participa de conferência sobre planos para 
a reconstrução da região central da Itália atingida por terremoto

"Sou assim, não vou mudar, os italianos me querem como eu sou, tenho 61% de popularidade", declarou em uma entrevista coletiva.

"Eles me querem porque eu sou bom, generoso, sincero, leal e cumpro as promessas que faço", acrescentou.

A imagem de Berlusconi se deteriorou ainda mais nos últimos dias, em consequência de denúncias e acusações publicadas na imprensa desde que sua mulher, Veronica Lario, anunciou que pediria o divórcio.

O primeiro-ministro italiano protagonizou, no último mês, vários escândalos com a divulgação de imagens de festas particulares com prostitutas em suas luxuosas mansões.

Berlusconi, que é um dos homens mais ricos da Itália, disse que as denúncias são "besteira", alegando tratar-se de um complô de seus inimigos políticos e de "manobras subversivas" planejadas para impedi-lo de governar.

"Não sei o que mais vão inventar, tudo isso será desmentido", destacou.

Investigação

A justiça de Bari (sul) abriu uma investigação sobre as atividades de dois empresários locais, amigos de Berlusconi, que pagavam belas mulheres para participar das festas do primeiro-ministro, o que pode ser configurado como indução à prostituição.

A promotoria registrou também o depoimento de Patrizia D'Addario, que contou à imprensa ter entregue à justiça duas gravações e vídeos dos encontros. Em um deles é possível ouvir, segundo ela, a voz de Berlusconi dizendo: "Me espere na cama grande".

D'Addario descreve que os vídeos, feitos com um celular, mostram o quarto de uma das mansões, em especial a mesa de cabeceira com uma foto da esposa de Berlusconi.

Na madrugada desta quinta-feira, um incêndio destruiu o carro de Barbara Montereale, de 23 anos, uma das jovens que contaram à imprensa ter participado das festas do chefe de governo, e é considerada testemunha fundamental para o processo aberto em Bari.


Leia mais sobre Berlusconi

    Leia tudo sobre: berlusconiitáliaprostituição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG