Berlim homenageia jornalista que ajudou a derrubar o muro

Madri, 2 out (EFE).- A Alemanha premiou hoje em Madri com uma de suas máxima condecorações, a Cruz de Mérito, o jornalista italiano Ricardo Ehrman, que com uma pergunta em uma coletiva de imprensa acelerou a queda do Muro de Berlim.

EFE |

Ehrman, que vive em Madri desde que se aposentou, era correspondente da agência italiana "Ansa" na República Democrática Alemã (RDA) há dez anos, quando começou a revolução pacífica que levou à queda do Muro e à reunificação alemã.

Em 9 de novembro de 1989, Ehrman estava na coletiva de imprensa dada pelo então ministro da propaganda e membro do Politburo, Günter Schabowski, retransmitida ao vivo pela televisão da RDA.

Ao responder a uma pergunta do jornalismo italiano, o ministro anunciou que os cidadãos poderiam sair do país sem passaporte.

Ehrman quis saber se a medida era válida também para as fronteiras ocidentais e a partir de quando entrava em vigor.

E Schabowski confirmou que a medida se aplicava também às fronteiras do Ocidente.

Na verdade, o Politburo tinha previsto abrir as fronteiras de forma ordenada a partir do dia seguinte, mas os cidadãos da RDA entenderam que o muro estava aberto e se apresentaram em massa na fronteira.

Testemunhas contaram depois que os soldados não tinham ordem de deixar as pessoas passar e que poderia ter acontecido um banho de sangue.

O jornalista italiano, agora com 78 anos, disse à Agência Efe que entendeu "em seguida a transcendência histórica" de sua pergunta.

Ele agradeceu a homenagem e a oportunidade de ter "podido fazer algo" na história da Alemanha, um país que lhe fascina, mesmo sendo judeu.

"Não acho que os filhos devam pagar pelos pecados dos pais, e a Alemanha de hoje não tem nada a ver".

A condecoração foi entregue pelo presidente do Parlamento Europeu, o alemão Hans Gert Pöttering, em ocasião do Dia da Unificação Alemã. EFE dm/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG