Berlim faz ressalvas ao plano de retomada econômica da UE

A Alemanha considerou apropriadas as linhas gerais do plano de retomada econômica proposto nesta quarta-feira pela Comissão européia, mas quer ainda discutir os detalhes, segundo o porta-voz adjunto do governo.

AFP |

"As ordens de grandeza propostas pela Comissão são apropriadas", disse Thomas Steg em entrevista à imprensa.

Bruxelas previu um total de 200 bilhões de euros para sue plano, o equivalente de 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) da União européia. O esforço pede a cada Estado em particular que contribua com 1,2% do PIB nacional.

Steg destacou, por sua vez, que a Alemanha já havia superado as expectativas do executivo europeu, adotando medidas de um total de 32 bilhões de euros, ou seja 1,3% do PIB alemão para sustentar a conjuntura.

"No que se refere aos detalhes do plano, será preciso ainda discutir com a Comissão", acrescentou Steg.

Ele disse ainda que para as medidas que quer financiar com o orçamento europeu, a Comissão deve se contentar "com os fundos já existentes".

Além disso, Steg rejeitou os alívios da taxa sobre valor agregado (TVA), seja em geral ou para setores específicos, como a restauração ou a hotelaria: "É uma má idéia", disse. Bruxelas, ao contrário, defende um alívio temporário da TVA geral, e definitivo para os setores com forte utilização da mão-de-obra.

aue/pan/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG