Bento XVI/Bush: luta contra terrorismo dentro do respeito a direitos humanos

George Bush e Bento XVI concordaram nesta quarta-feira que a luta contra o terrorismo deve empregar os meios apropriados respeitando-se a pessoa humana assim como seus direitos, segundo um comunicado comum publicado ao final de seu encontro na Casa Branca.

AFP |

O presidente americano e o papa "reafirmaram sua rejeição total ao terrorismo assim como a manipulação da religião para justificar atos imorais ou violentos contra inocentes", diz a nota.

"Também evocaram a necessidade de lutar contra o terrorismo através de meios apropriados respeitando-se a pessoa humana e seus direitos", acrescenta o texto, deixando a entender que o papa comunicou a George Bush sua condenação à tortura como instrumento de obtenção de informações junto aos detidos de Guantanamo ou no Iraque.

Em relação ao Iraque, a nota destaca "a preocupação comum" dos dois homens em relação à "situação precária das comunidades cristãs neste país e na região".

O encontro entre os dois homens também abordou "questões morais e religiosas" principalmente "a dignidade da pessoa humana" e "a defesa e a promoção da vida", assim como "a liberdade religiosa" e a ajuda à África, segundo o comunicado.

Também dedicaram "muito tempo" à situação no Oriente Médio e ao conflito israelense-palestino "na perspectiva de dois Estados vivendo lado a lado em paz e na segurança"; anunciaram, também, seu apoio "à soberania e à independência do Líbano".

nou/ms/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG