Roma, 31 ago (EFE).- O papa Bento XVI disse hoje que, perante o fenômeno da imigração ilegal, são necessárias respostas políticas eficazes, e pediu senso de responsabilidade aos países de onde saem os imigrantes.

Após a reza do Ângelus em sua residência de Castelgandolfo, o papa falou do aumento da imigração irregular a partir da África através do Mediterrâneo, travessia vista como uma esperança para fugir de situações "com freqüência insustentáveis", que muitas vezes se "transforma em tragédia".

A imigração é um fenômeno presente desde "os alvores da história da humanidade que, portanto, caracterizou desde sempre as relações entre povos e nações", disse.

No entanto, a "emergência na qual se transformou" requer "nossa solidariedade", ao mesmo tempo que "impõe eficazes respostas políticas".

Quanto aos países de origem dos imigrantes, o papa disse que "devem mostrar senso de responsabilidade", não só porque se trata de seus concidadãos, mas também para "eliminar as causas" deste fenômeno e para acabar "com todas as formas de criminalidade que estão ligadas" ao fenômeno.

Os países europeus estão "chamados a desenvolver, de comum acordo, iniciativas e estruturas cada vez mais adequadas às necessidades dos imigrantes irregulares", acrescentou.

Além disso, as pessoas que empreendem o caminho da imigração ilegal devem ser "sensibilizadas" sobre o valor da própria vida, "um bem único" que deve ser protegido "dos gravíssimos riscos aos quais se expõem na busca de uma melhora de suas condições".

Bento XVI disse que sentia "o profundo dever de chamar a atenção de todos sobre o problema e de pedir a generosa colaboração de indivíduos e instituições para enfrentá-lo e encontrar vias de solução". EFE cr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.