Bento XVI pede ação firme e internacional contra o racismo

Cidade do Vaticano, 19 abr (EFE).- O papa Bento XVI pediu hoje uma ação firme e concreta no âmbito internacional para prevenir e eliminar todo tipo de discriminação e intolerância.

EFE |

O pedido foi feito antes da Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e Outras Formas Relacionadas de Intolerância, que começa nesta segunda-feira em Genebra.

"É preciso uma ação firme e concreta, em nível nacional e internacional, para prevenir e eliminar todo tipo de discriminação e de intolerância", afirmou o pontífice durante a oração Regina Coeli, que substitui o Ângelus durante o Tempo Pascal.

"É necessário, sobretudo, uma ampla obra de educação, que exalte a dignidade da pessoa e tutele todos os direitos fundamentais", acrescentou Bento XVI.

"A Igreja, por sua vez, acredita que só o reconhecimento da dignidade do homem, criado a imagem e semelhança de Deus, pode constituir uma referência segura para tal compromisso", ressaltou.

"Desta origem comum, de fato, emana o destino comum da humanidade, que deveria suscitar, em todos e em cada um, um forte sentido de solidariedade e responsabilidade", acrescentou.

O papa afirmou que a conferência da ONU é uma "iniciativa importante porque, ainda hoje, apesar das doutrinas da história, são registrados fenômenos deploráveis".

"A Declaração de Durban reconhece que 'todos os povos e pessoas formam uma família humana, rica em diversidade. Eles contribuíram ao progresso das civilizações e das culturas que constituem o patrimônio comum da humanidade... A promoção da tolerância, do pluralismo e do respeito pode levar a uma sociedade mais integradora'", disse o pontífice.

"A partir destas afirmações, formulo os sinceros votos para que os delegados presentes na conferência de Genebra trabalhem juntos, com espírito de diálogo e de receptividade recíproca, para pôr fim a toda forma de racismo, discriminação e intolerância", disse.

"Desta forma, dão um passo fundamental em direção à afirmação do valor universal da dignidade do homem e dos direitos" humanos, acrescentou. EFE mcs/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG