Bento XVI expressa preocupação com futuro da humanidade em mensagem de Natal

Juan Lara. Cidade do Vaticano, 25 dez (EFE).- O papa Bento XVI expressou hoje preocupação com o futuro, que está se tornando mais incerto inclusive nas nações do bem-estar, e pediu que todos os homens façam sua parte, com solidariedade, já que se cada um só pensar em seus interesses, o mundo se encaminhará à ruína.

EFE |

O pontífice fez as declarações durante a tradicional mensagem de Natal, pronunciada do balcão central da basílica de São Pedro do Vaticano, diante de dezenas de milhares de pessoas que lotavam a praça em uma manhã fria e cinzenta.

No pronunciamento, Bento XVI lembrou os lugares do mundo onde há guerras, confrontos ou crise econômicas, entre eles o Oriente Médio, Kivu, na República Democrática do Congo (RDC), de Darfur, no Sudão, Somália, e todos os locais "ainda atingidos" pelo terrorismo.

Para cerca de 60 mil pessoas reunidas na Praça de São Pedro para ouvir a quarta mensagem de Natal do Pontificado de Bento XVI, o papa disse ao mundo que, com o nascimento de Jesus, "apareceu a graça de Deus, que traz a salvação para todos os homens".

Na mensagem, o papa ressaltou que o Natal é a festa da luz e que Jesus veio à Terra "para todos, judeus, pagãos, ricos e pobres, crentes e agnósticos, próximos e distantes".

O pontífice acrescentou que Deus é o único que pode transformar o mal em bem e mudar o coração do homem, tornando-o um "oásis de paz", e defendeu que todos sintam o poder da graça salvadora de Deus.

"Que brilhe a luz do Natal onde se atropela a dignidade e os direitos da pessoa, onde os egoísmos pessoais ou de grupo prevalecem sobre o bem comum, onde corre-se o risco de se acostumar ao ódio fratricida e à exploração do homem pelo homem", acrescentou o papa.

Bento XVI pediu que a luz de Belém também brilhe onde as lutas internas dividem grupos e etnias, e destroem a convivência, e onde o terrorismo segue atingindo as pessoas, onde falta o necessário para viver, onde se olha com desconfiança para um futuro que está se tornando cada vez mais incerto, inclusive nas nações do bem-estar".

O papa estimulou todos os homens a fazer a sua parte "com espírito de verdadeira solidariedade, já que se cada um só pensar em seus próprios interesses, o mundo se encaminhará à ruína", afirmou.

Bento XVI defendeu que, neste tempo "marcado por uma considerável crise econômica", o Natal seja a ocasião de uma maior solidariedade entre as famílias e entre a sociedade.

O papa acrescentou que a luz de Belém também é aguardada pelas crianças de todos os países em dificuldade, "para que se devolva a esperança em seu futuro".

Esta foi a segunda referência do pontífice às crianças em poucas horas, depois que, nesta madrugada, durante a Missa do Galo, Bento XVI pediu o fim a todas as formas "abomináveis de abuso" contra os menores, entre os quais citou a pornografia, a utilização deles como soldados e instrumentos de violência e os meninos de rua.

O papa analisou hoje a situação do mundo, expressando preocupação com a situação nas zonas onde há violência ou guerras, mas abordando particularmente o Oriente Médio, onde deve viajar em maio de 2009, e a África.

"Que a luz divina de Belém seja divulgada na Terra Santa, onde o horizonte parece voltar a ficar obscuro para israelenses e palestinos, que também se propague no Líbano e no Iraque e em todo o Oriente Médio", afirmou.

"Que faça frutificar os esforços daqueles que não aceitam a lógica perversa do confronto e da violência, e preferem, por outro lado, a via do diálogo e da negociação para resolver as tensões internas de cada país e encontrar soluções", acrescentou o pontífice.

Bento XVI também lembrou os habitantes do Zimbábue, afetados durante muito tempo por uma crise política e social, que, "infelizmente, segue se agravando".

O pontífice lembrou também os moradores da "atormentada" região de Kivu, na RDC, de Darfur, no Sudão, e da Somália, "cujas intermináveis tribulações são uma trágica conseqüência da falta de estabilidade e de paz".

Após a mensagem, o papa ministrou a bênção "Urbi et Orbi" em 64 idiomas, entre eles português, espanhol e guarani.

"Feliz Natal. Que a paz de Cristo reine em vossos corações, nas famílias e em todos os povos", afirmou o pontífice.

A mensagem foi transmitida ao vivo por cerca de 100 televisões de mais 50 países, entre eles o Brasil. EFE jl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG