Bento XVI exalta culto à Cruz de Cristo em sua primeira audiência de 2009

Cidade do Vaticano, 7 jan (EFE).- O papa Bento XVI disse hoje que a Cruz de Cristo marcou um ponto de inflexão na história, já que transforma e renova radicalmente a realidade do culto, e, com Jesus, o sacrifício se transforma em realidade.

EFE |

O pontífice, que está resfriado, presidiu hoje a primeira audiência geral de 2009 e disse que, "infelizmente, me falta a voz, mas tento me fazer entender".

Bento XVI, a quem lhe custou ler a catequese destinada ao culto, segundo São Paulo, disse depois aos presentes: "obrigado por sua paciência".

O papa citou São Paulo, para quem a Cruz de Cristo é o "ponto de contato entre Deus e o homem, o ponto da misteriosa presença dele no mundo dos homens".

No Antigo Testamento, se requeriam sacrifícios simbólicos e, "com Jesus, o sacrifício se transforma em realidade", explicou.

Para Bento XVI, na Cruz, "Cristo, o verdadeiro filho de Deus, fez-se homem verdadeiro, e tomou para si todas nossas culpas", tornando, assim, "a si mesmo no lugar de contato entre a miséria humana e a misericórdia divina".

Com a Cruz de Cristo, São Paulo diz, em outras palavras, o velho culto de sacrificar animais no Templo de Jerusalém acaba, porque o "culto simbólico" foi substituído pelo "verdadeiro culto: o amor de Deus encarnado em Cristo e levado a sua integridade na morte na Cruz", disse.

Sobre o "conceito paulino de Cristo" o papa comentou a continuidade, "o surgimento da esperança: a tendência de atrair a todos, para unir o mundo, porque só na comunhão com Cristo, o mundo se transforma, como todos queremos, no espelho do amor de Deus".

"Esta dinâmica deveria inspirar e dar forma a nossas vidas e, com este impulso, iniciar o novo ano", concluiu. EFE cps/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG