Bento XVI diz que santidade não é privilégio de alguns

Roma, 20 ago (EFE).- O papa Bento XVI disse hoje que a santidade não é privilégio de alguns nem uma meta inalcançável para o homem comum, e lembrou os santos que na terra levaram uma existência aparentemente normal.

EFE |

Durante a tradicional audiência pública das quartas-feiras, realizada em Castelgandolfo, o papa falou da importância de "cultivar o conhecimento e a devoção dos santos", que representam "uma via real de acesso a Jesus".

A experiência humana e espiritual dos santos mostra que "a santidade não é um luxo, não é um privilégio para poucos, nem uma meta impossível para um homem comum", mas "a vocação universal de todos os batizados".

O papa lembrou alguns santos, entre eles Santa Rosa de Lima, a primeira canonizada da América Latina, e evocou suas palavras: "se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento".

Bento XVI falou dos santos "normais" que, "de fato, são muitos", cujos nomes "só Deus conhece", porque na terra levaram uma existência "aparentemente normal".

O exemplo dessas pessoas "dá testemunho que só quando se está em contato com o Senhor, alguém se enche de sua paz e de sua alegria e é capaz de divulgar por todas as partes serenidade, esperança e otimismo", disse.

Bento XVI lembrou também os mortos, feridos e pessoas que perderam tudo nas tempestades e furacões que afetaram na semana passada a Polônia, aos quais manifestou sua "proximidade espiritual". EFE cr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG