Cidade do Vaticano, 14 mar (EFE).- O papa Bento XVI afirmou hoje que nenhum bispo está só, durante seu discurso aos membros da Conferência Episcopal argentina, que está no Vaticano em visita ad limina, que os bispos de cada país fazem a cada cinco anos ao pontífice.

O papa afirmou que o bispo está "estreitamente unido a Cristo" e a seus "irmãos do episcopado", por isso disse aos representantes argentinos que contam com todo seu apoio, sua oração diária e sua proximidade espiritual.

Além disso, recomendou à Conferência Episcopal argentina que ouça as palavras de Deus, "que todos sejam um", para obter inspiração em sua atividade pastoral.

A visita dos bispos argentinos ao papa ocorre pouco depois do escândalo surgido pela revogação da excomunhão de quatro bispos lefebvrianos, entre eles o polêmico Richard Williamson, que negou o Holocausto judeu.

Williamson morava na Argentina até o fevereiro, mas deixou o país após receber uma ameaça de expulsão do Governo de Buenos Aires por suas polêmicas declarações sobre o Holocausto Bento XVI disse "conhecer bem" a vontade de prestar mais atenção aos presbíteros dos representantes da Igreja na Argentina, por isso os incentivou a se preocupar com "sua situação espiritual, intelectual e material", para que possam "viver santa e religiosamente" e possam "realizar seu ministério com fidelidade e fruto".

O papa pediu aos bispos argentinos que intensifiquem a caridade e a prudência quando tiverem que corrigir doutrinas, atitudes ou comportamentos que contradizam a condição sacerdotal de seus mais estreitos colaboradores, já que podem prejudicar e confundir a fé e a vida cristã dos fiéis.

Bento XVI abençoou e se despediu da representação argentina desejando que a Virgem Maria a acompanhe e proteja sempre, assim como a seus fiéis diocesanos. EFE fab/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.