Bento XVI diz que anjo da guarda não o impediu de se machucar

Cidade do Vaticano, 29 jul (EFE).- O papa Bento XVI brincou hoje sobre seu recente queda e disse que, infelizmente, seu anjo da guarda não impediu que escorregasse, certamente por ordem superior, já que talvez o Senhor queria me ensinar mais paciência e mais humildade para dar mais tempo à reza e à meditação.

EFE |

O papa fez estas declarações nas palavras que dirigiu aos policiais, membros da Defesa Civil, militares e bombeiros - cerca de 500 - que garantiram sua segurança durante os 16 dias que permaneceu de férias em Les Combes, no Vale de Aosta, dos quais se despediu hoje, pouco antes de finalizar sua estadia na região.

Bento XVI os chamou seus "anjos da guarda" e disse que, assim como os anjos, "que são invisíveis", os agentes também foram "invisíveis e ao mesmo tempo eficazes".

"Assim vocês foram, invisíveis para mim e ao mesmo tempo eficazes. Vivi aqui uma paz celestial", disse o papa, em suas palavras de agradecimento, ressaltando que, graças ao trabalho dessas pessoas, pôde estar cercado de "um silêncio incrível, do canto dos pássaros".

Após essas palavras, o papa lembrou sua queda, após tropeçar no pé da cama de seu quarto, quando, na madrugada de 17 de julho, se levantou e, às escuras, procurava o interruptor da luz.

Devido à queda, o papa fraturou o pulso direito e teve que ser operado em um hospital de Aosta.

Olhando para o pulso, brincou com o incidente, falou sobre o anjo da guarda e novamente agradeceu aos agentes o trabalho prestado.

Bento XVI terminará esta tarde suas férias em Les Combes. Por volta das 17h (12h de Brasília), iniciará a viagem a Castelgandolfo, cerca de 30 quilômetros ao sul de Roma, onde permanecerá o resto do verão (hemisfério norte). EFE JL/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG