Bento XVI celebrará missa em estádio de beisebol em N.York e visitará ONU

Elena Moreno Nova York, 14 abr (EFE).- O papa Bento XVI visitará Nova York de 18 a 20 de abril, em um período no qual visitará a sede da ONU e o Marco Zero, falará na tradicional igreja de St.

EFE |

Joseph e celebrará missas na catedral de St. Patrick's e no estádio do time de beisebol New York Yankees.

O pontífice, que completa 81 anos nesta quarta-feira, chegará ao Aeroporto Internacional JFK de Nova York procedente de Washington.

No desembarque, será recebido pelo prefeito da cidade, Michael Bloomberg, e por outras autoridades, para imediatamente seguir até a sede das Nações Unidas.

Joseph Ratzinger falará no plenário da Assembléia Geral, se reunirá com o presidente do órgão, Srgjan Kerim, e com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

O papa participará ainda de uma audição de um coro infantil e visitará a sala de meditação da instituição multilateral.

Ban, que já participou de um encontro com Ratzinger em visita ao Vaticano no ano passado, tem "muito interesse em voltar a se reunir com ele", disse à Agência Efe a porta-voz do secretário-geral, Michèle Montas.

Uma vez concluída a visita à sede das Nações Unidas, o papa dará início a uma intensa agenda em Nova York.

Visitará primeiro uma sinagoga dirigida pelo rabino Arthur Schneier, de 78 anos e sobrevivente do Holocausto. Esse evento não consta da programação oficial.

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) já informou que o encontro entre o papa e o rabino durará cerca de 20 minutos, e que Bento XVI pretende "expressar sua boa vontade para com a comunidade judaica" na ocasião.

Em 19 de abril, os judeus iniciam a celebração do Pessach, para relembrar a libertação do povo de Israel do cativeiro no Egito.

O papa emitirá "uma mensagem de cordiais felicitações pela celebração do Pessach", disse o secretário-geral da USCCB e coordenador da agenda papal nos EUA, David Malloy.

Ainda na tarde de sexta, Bento XVI realizará uma celebração com católicos e outros cristãos na igreja de St. Joseph, construída no século XIX com contribuições de imigrantes alemães e que fica no bairro de Yorkville.

No dia seguinte, o papa celebrará uma missa na catedral de St.

Patrick's, considerada o templo católico de Manhattan por excelência, e à tarde participará de um encontro religioso na igreja de St. Joseph, em Yonkers.

Na ocasião, será recebido por grupos de jovens católicos e portadores de deficiência, em meio à distribuição, de forma gratuita, de rosários confeccionados por um grupo de crianças nova-iorquinas do colégio "Our Lady Queen of Peace", em Staten Island.

No último dia de sua estadia em Nova York, o papa visitará o Marco Zero, onde ficavam as Torres Gêmeas antes dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

Nesse mesmo dia, antes de voltar a Roma, Bento XVI celebrará uma missa no estádio do time de beisebol New York Yankees.

Essa primeira visita de Joseph Ratzinger a Nova York será cercada por fortes medidas de segurança, com previsão de que inúmeros agentes da Polícia de Manhattan, assim como do serviço secreto, acompanhem de perto todos os atos do papa e, especialmente, os trajetos do papamóvel previstos para o centro da cidade.

Além disso, também foi anunciado que uma grande equipe médica estará o tempo todo disponível para atender a Bento XVI, e que já há um plano especial de atendimento em dois hospitais da cidade, cujos nomes não foram revelados, no caso de algo acontecer com o pontífice.

O papa chegará a Nova York em meio a uma falta de entendimento entre a arquidiocese local e os 216 colégios católicos da cidade, que reúnem 100 mil estudantes. Estão em disputa conteúdos dos novos contratos para professores, sobretudo em assuntos como salários, seguros-médicos e previdência. EFE emm/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG