Cidade do Vaticano, 4 mar (EFE).- O papa Bento XVI pediu aos jovens que não se deixem atrair pela idolatria do dinheiro, dos bens materiais, da carreira e do sucesso, que não cedam à lógica do interesse egoísta e que se ponham a serviço do bem comum e da verdade.

O pontífice fez as declarações em mensagem por ocasião da 24ª Jornada Mundial da Juventude, que será realizada em nível diocesano no dia 5 de abril, Domingo de Ramos, divulgado hoje pelo Vaticano.

Na mensagem, o papa lembra os jovens que se preparam ao encontro mundial da juventude que será realizado em Madri em 2011.

O lema da 24ª Jornada Mundial da Juventude é "Pusemos a nossa esperança em Deus vivo", e, sobre a escolha, o papa afirma em sua mensagem que "todos advertimos da necessidade de esperança, mas não de qualquer esperança, e sim de uma esperança firme e crível".

"A juventude é tempo de esperança, porque olha para o futuro com diferentes expectativas", afirmou o papa, que adverte os jovens de que a política, a ciência, a tecnologia, a economia ou qualquer outro recurso material "por si sós não são suficientes para oferecer a grande esperança à qual todos aspiramos".

O pontífice afirmou que essa esperança "só pode ser Deus", e acrescentou que uma das consequências principais do esquecimento Dele é a "desorientação que caracteriza as sociedades, que se manifesta na solidão e na violência, na insatisfação e na perda de confiança, chegando inclusive ao desespero".

"A crise de esperança afeta mais facilmente as novas gerações que, em contextos socioculturais carentes de certezas, de valores e pontos de referência sólidos, têm que enfrentar dificuldades que parecem superiores às suas forças", afirmou o papa.

Bento XVI acrescentou que pensava em tantos jovens "feridos pela vida e condicionados por uma imaturidade pessoal que é frequentemente consequência de um vazio familiar, de opções educativas permissivas e libertárias, e de experiências negativas e traumáticas".

O pontífice acrescentou que, para alguns, a única saída possível é uma "fuga alienante rumo a comportamentos perigosos e violentos, em direção à dependência de drogas e álcool, e para tantas outras formas de mal-estar juvenil".

O papa disse que é necessária uma nova evangelização, que ajude as novas gerações a descobrir "o rosto autêntico de Deus, que é Amor".

Bento XVI também estimulou os jovens a rezar, de preferência em companhia, e a participar da liturgia de suas paróquias e ativamente nos sacramentos.

Além disso, convidou-os a ser "pacientes e perseverantes" e a vencer a "natural tendência dos jovens à pressa, de querer obter tudo e imediatamente".

"Façam perceber que entendem as ciladas da idolatria do dinheiro, dos bens materiais, da carreira e do sucesso, e não se deixem atrair por estas falsas ilusões", acrescentou.

"Não cedam à lógica do interesse egoísta; pelo contrário, cultivem o amor ao próximo e façam esforço para colocar a vocês mesmos, com suas capacidades humanas e profissionais, a serviço do bem comum e da verdade", acrescentou no texto. EFE jl/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.