Bento 16 proclama 4 santos e pede fim da violência contra cristãos na Índia

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento 16 proclamou neste domingo quatro santos, em cerimônia na qual denunciou a violência contra os cristãos no Iraque e na Índia, e defendeu a pacificação da região de Kivu, no Congo.

EFE |

"Convido todos a rezar pela reconciliação e pela paz em algumas situações de alerta. Penso nas povoações do norte de Kivu, na República Democrática do Congo, e na violência contra os cristãos no

EFE

Papa Bento XVI saúda fiéis na Cidade do Vaticano

Iraque e na Índia", disse o papa diante de milhares de fiéis que assistiram, na Praça de São Pedro, à proclamação dos novos santos.

Em um dia ensolarado, que ressaltava a Praça de São Pedro, no Vaticano, Bento 16 canonizou a equatoriana Narcisa de Jesús Martillo Morán (1832-1869) e a freira suíça Maria Bernarda Bütler (1848-1924), que viveu no Equador e na Colômbia, onde morreu.

O papa também proclamou como santo o religioso italiano Gaetano Errico (1791-1860), fundador da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração e a religiosa Alfonsa da Imaculada Conceição (Anna Muttathupadathu, 1910-1946), primeira santa da Índia.

Além disso, o pontífice defendeu uma sociedade mais justa e solidária, inspirada nos valores do Evangelho.

Os quatro beatos foram proclamados santos às 10h33 local (5h33 de Brasília). Após as palavras do papa, os mais de 50 mil presentes aplaudiram durante vários minutos ao som de música sacra, enquanto tremulavam dezenas de bandeiras equatorianas, indianas e italianas.

A canonização dos quatro foi pedida ao papa pelo arcebispo Angelo Amato, prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, que foi acompanhado por postuladores das causas.

Depois de proclamados, foram colocadas relíquias dos quatro novos santos no altar onde foi celebrada a missa, para a veneração.

    Leia tudo sobre: bento xvipapa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG