Belgrado afirma que apenas 10 pessoas ajudam Ratko Mladic a se esconder

Belgrado, 13 nov (EFE).- O acusado de crimes de guerra Ratko Mladic conta com o apoio de apenas dez pessoas em sua fuga, o que dificulta as investigações para localizá-lo, disse Rasim Ljajic, responsável da busca pelos acusados da Justiça internacional.

EFE |

"São menos de dez. Trata-se de pessoas que sabem onde ele se esconde", disse Ljajic à edição de hoje do jornal sérvio "Politika".

Ljajic disse que a captura do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic em julho, em Belgrado, dificultou a busca por Mladic, o ex-comandante militar dos sérvios da Bósnia e que está foragido há 12 anos, porque seu círculo de apoio atua agora com mais cautela.

O também responsável da cooperação com o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) ressaltou que a captura de Mladic é uma "questão técnica".

Nesse sentido, insistiu na vontade política em Belgrado para cumprir seus compromissos internacionais e completar a cooperação com o TPII.

Esta Corte internacional acusa Mladic de genocídio em relação ao massacre de cerca de 8 mil homens muçulmanos de Srebrenica, e de outros crimes cometidos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995).

"As atividades (de busca de Mladic) não pararão", disse Ljajic, que assegurou que, na Sérvia, "nunca houve mais meios focalizados na solução deste problema".

Na segunda-feira passada, na cidade de Valjevo, cerca de 90 quilômetros ao sudoeste de Belgrado, unidades da Polícia revistaram a fábrica e as casas de uma família de industriais locais em busca de provas sobre possíveis canais de financiamento que ajudam Mladic a se esconder.

Em outro jornal, o "Vecernje Novosti", o procurador especial sérvio de crimes de guerra, Vladimir Vukcevic, disse que "se chegou a resultados satisfatórios" na operação em Valjevo, e que "isso foi só o início".

A captura e extradição do ex-líder militar servo-bósnio é a condição crucial imposta à Sérvia para avançar em sua entrada na União Européia (UE), com a qual, em abril, assinou o acordo de associação que é bloqueado pela Holanda até que Mladic seja capturado.

O TPII reivindica da Sérvia também a captura e extradição de Goran Hadzic, ex-líder dos sérvios da Croácia.

Mladic e Hadzic são agora os únicos dois acusados por essa Corte internacional ainda em liberdade. EFE Sn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG