Bélgica confirma libertação de 2 europeus da MSF na Somália

Bruxelas, 28 abr (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores da Bélgica confirmou hoje a libertação dos dois trabalhadores europeus da organização Médicos sem Fronteiras (MSF), um holandês e outro belga, que permaneciam sequestrados há nove dias no sul da Somália.

EFE |

O porta-voz da Chancelaria, Bart Ouvry, disse à Agência Efe que no momento eles estão viajando de avião de Hudur, perto da fronteira com a Etiópia, para Nairóbi.

A emissora de rádio "Shabelle" tinha informado hoje sobre a libertação dos dois sequestrados após uma série de negociações feitas com a mediação de membros de um clã do distrito de Radbure, na região de Bakol, próxima à fronteira com o Quênia.

Fontes da mediação, que confirmaram a libertação dos dois estrangeiros, disseram à emissora que não foi pago resgate ao grupo que tinha feito os sequestros, que pedia US$ 4 milhões para colocá-los em liberdade.

Os dois empregados da MSF foram sequestrados em 19 de abril quando se dirigiam do distrito de Radbure em direção a Hudur, capital provincial de Bakol, por um grupo de homens armados não identificados, que os levaram com eles.

Os trabalhadores humanitários e jornalistas se transformaram em objetivo de grupos armados, que pretendem cobrar fortes resgates por sua libertação, e também de milícias que se opõem a seu trabalho no país, onde grande parte da população vive na pobreza e precisa de ajuda humanitária. EFE rja/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG