Belarus construirá usina nuclear em área afetada por tragédia de Chernobil

Moscou, 20 dez (EFE) - Belarus anunciou hoje que a primeira usina nuclear do país será construída na região de Grodno, uma das mais afetadas pela nuvem radioativa liberada após o acidente na central ucraniana de Chernobil (1986).

EFE |

A comissão estadual criada pelo Governo decidiu hoje habilitar uma parcela de terreno em Ostrovetski, em Grodno, informou Ludmila Zenkovich, porta-voz do Ministério de Energia, citada pela agência russa "Interfax".

Agora, as autoridades bielo-russas convocarão um concurso internacional para a construção da usina, para o que parte como favorita a corporação russa AtomStroyExport.

Belarus já assinou um contrato com a Ucrânia para a projeção da central, que terá uma capacidade geradora de dois mil megawatts e cujo primeiro bloco deve estar operacional em 2016.

No dia 31 de janeiro, o presidente bielo-russo, Alexander Lukashenko, assinou um decreto para construir a central atômica, cujo custo deve rondar os US$ 4 bilhões.

Lukashenko qualificou de "histórico" o projeto, porque dele "depende a independência econômica, energética e política das futuras gerações dos bielo-russos", disse.

Segundo as autoridades bielo-russas, a usina será responsável por 30% de toda a energia elétrica produzida e consumida no país, a última economia planejada da Europa.

A oposição critica a construção de usinas atômicas em Belarus, já que 23% do território nacional foi contaminado por radiação liberada na usina de Chernobil, onde aconteceu a maior catástrofe da história da energia nuclear.

Segundo informações oficiais, mais de 1,7 milhão de bielo-russos - sendo 360 mil crianças - , cerca de 20% da população, ainda sofrem com as conseqüências da radiação da central, situada a apenas 25 quilômetros da fronteira bielo-russa. EFE io/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG