Belarus apresenta lista de diplomatas dos EUA que devem deixar o país

Moscou, 30 abr (EFE) - Belarus apresentou hoje ao encarregado de negócios dos Estados Unidos em Minsk, Jonathan Moore, uma lista de diplomatas americanos que devem deixar imediatamente o país.

EFE |

"Jonathan Moore recebeu uma nota que inclui uma lista de diplomatas americanos declarados 'persona non grata' e que deverão abandonar o território de Belarus", informou o Ministério de Exteriores bielo-russo em comunicado.

A Chancelaria explicou que tomou essa decisão "devido à recusa dos EUA de seguir as recomendações da Chancelaria sobre a redução do número de funcionários de sua embaixada em Minsk".

Recentemente, Moore tinha sido informado pelas autoridades bielo-russas que Washington tinha até as 15h (hora local) de hoje para reduzir a seis pessoas seu corpo diplomático em Minsk.

O diplomata então afirmou que esse era "um passo sem precedentes e injustificados por parte das autoridades bielo-russas que terá graves conseqüências".

Os EUA já reduziram em março o elenco de sua delegação a pedido de Minsk, que exige paridade no que diz respeito ao número de diplomatas bielo-russos e americanos presentes nos dois países.

Minsk reduziu em duas ocasiões nas últimas semanas o pessoal em sua embaixada em Nova York devido à recusa de Washington em suspender as sanções impostas à companhia petrolífera bielo-russa Belneftekhim e pede a Washington que siga seu exemplo.

A embaixadora americana em Minsk, Karen Stewart, teve que abandonar o país a pedido das autoridades, sob a ameaça de expulsão.

Atualmente, a embaixada americana em Minsk possui 15 pessoas.

O Governo dos EUA considera "injustificada e desnecessária" a ordem de abandonar Belarus recebida contra dez de seus diplomatas em Minsk, mas afirma que acatará o pedido oficial.

Em declarações à imprensa, o porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, disse que "já que é um pedido diplomático formal, o acataremos", mas "dissemos aos bielo-russos em particular e vamos dizer em público que é uma medida injustificada e desnecessária".EFE io/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG