Beirute, 21 ago (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores libanês, Fawzi Salloukh, disse que as recentes advertências feitas pelo primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, sobre um eventual ataque ao Líbano só buscam prejudicar a imagem deste país, informou hoje a imprensa local.

No último dia 19, Olmert advertiu que seu país não se conteria se for atacado pelo Hisbolá de um Líbano sob controle da milícia xiita.

Salloukh qualificou as palavras de Olmert de uma "fantasia", e um "exagero do Mossad" e dos serviços de inteligência israelenses.

Olmert fez essas declarações uma semana depois de o Parlamento libanês conceder sua confiança ao novo Governo libanês, no qual o Hisbolá ganhou peso e conta com direito de veto, graças a seus onze ministros.

A Câmara libanesa também aprovou na semana passada o novo programa governamental que estipula que o povo libanês, o Exército e a resistência (nome que recebe o Hisbolá) têm direito de usar qualquer meio para "libertar as terras ocupadas por Israel".

Em referência a este assunto, Salloukh insistiu em que o Governo não deu carta branca o Hisbolá para que atue contra Israel.

O Israel e o Hisbolá se enfrentaram em meados de 2006, em um conflito travado em território libanês e na qual morreram mais de mil libaneses, na maioria civis, e 163 israelenses, quase todos soldados. EFE ks/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.