Beirute condena captura de navio libanês pelo Exército israelense

Beirute, 5 fev (EFE).- O primeiro-ministro do Líbano, Fouad Siniora, condenou hoje a captura de um navio libanês que se dirigia à Faixa de Gaza com ajuda humanitária por parte do Exército israelense.

EFE |

Em declarações retransmitidas pela televisão, Siniora qualificou a ação israelense de "pirataria", e responsabilizou a Israel pelo estado de saúde dos ocupantes do navio.

"Israel, que cometeu massacres e crimes contra a humanidade, não pode evitar cometer uma agressão contra uma embarcação civil e sua tripulação", disse Siniora.

O líder libanês disse que entrou em contato com a Liga Árabe e a ONU para denunciar a ação cometida por Israel, que mantém um bloqueio econômico à Faixa de Gaza desde junho de 2006.

A Liga Árabe também condenou a captura da embarcação, que descreveu como "uma continuação da política criminosa israelense contra o povo palestino e uma ação de pirataria".

Em comunicado, a organização pediu à ONU e à comunidade internacional que zelem para que Israel preserve a segurança do navio e da tripulação.

Soldados israelenses abordaram esta manhã um navio libanês que se dirigia para a costa da Faixa de Gaza com a intenção de romper o bloqueio econômico imposto sobre este território palestino.

A abordagem aconteceu depois que os soldados deram vários tiros de advertência contra o navio, para fazer com que a embarcação se afastasse do litoral de Gaza, informou uma correspondente do canal catariano "Al Jazira" que estava a bordo.

No entanto, em comunicado oficial, o Exército israelense negou tenha feito disparos de intimidação contra o navio, que levava ajuda humanitária e tinha saído do porto cipriota de Larnaca. EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG