Beija-Flor vai homenagear 50º de Brasília no Carnaval carioca

Rio de Janeiro, 8 fev (EFE).- A história da construção de Brasília vista pelo lado poético, deixando de lado a característica política da cidade, será contada por uma escola de samba do Rio de Janeiro nos desfiles do carnaval para celebrar o 50º da fundação da capital do Brasil.

EFE |

O desfile sobre Brasília, intitulado "Brilhante ao sol do novo mundo, Brasília do sonho à realidade, a capital da esperança", será apresentada no próximo domingo no sambódromo pela escola Beija Flor de Nilópolis, uma das grandes do carnaval carioca.

O diretor artístico de Beija Flor, Alexandre Louzada, disse à Agência Efe que o tema ressaltará tudo o que se refere à criação da cidade, inaugurada em 21 de abril de 1960, mas a política ficará de fora dessa apresentação para dar ênfase à formação da população da nova capital.

Se destacará, por exemplo, a chegada dos imigrantes dos quatro pontos cardeais do Brasil, que deram origem a uma das regiões mais misturadas do país do ponto de vista cultural.

Para desenvolver seu desfile, a escola representará no sambódromo personagens importantes da história brasileira como o Tiradentes, o imperador Dom Pedro II e o patriarca da Independência José Bonifacio de Andrada e Silva.

Um lugar destacado terá o ex-presidente Juscelino Kubitschek, que governou ao país entre 1956 e 1961 e que foi quem, durante sua campanha eleitoral, se comprometeu a fazer a nova capital no centro do país, promessa que levou a cabo.

Segundo Louzada, a escola vai ressaltar que a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para o interior do país não foi uma decisão isolada de Kubitschek.

"A ideia de mudar o centro das decisões políticas do Brasil começou com a Inconfidência (primeira revolta contra a coroa portuguesa, em 1789). José Bonifacio, pouco depois da independência, batizou como Brasília à futura capital. Floriano Peixoto enviou a expedição Louis Cruls para demarcar o território conhecido hoje como o Distrito Federal e, anos mais tarde, Kubitschek cumpriu o que já estava previsto", finalizou.

Além dos atores que apresentarão um ato teatral no sambódromo para representar o cotidiano da população local, o projeto arquitetônico de Brasília, obra de Óscar Niemeyer, hoje com 102 anos de idade, também será abordado no desfile. EFE sf/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG