Cairo, 25 ago (EFE).- As autoridades egípcias e as principais tribos beduínas da região do Sinai, no nordeste do país, sentarão à mesa de negociações a partir de hoje para discutir as exigências dos habitantes desta província fronteiriça com Israel.

Moussa al-Dilh, um dos porta-vozes dos beduínos, assegurou hoje à Efe que uma delegação das principais tribos se reuniu no Cairo com "altos responsáveis", que não quis identificar, e com os quais foi acertado o início das negociações.

"Acreditamos que pode haver uma solução. Há uma porta aberta e queremos aproveitar esta oportunidade", disse Dilh.

As principais exigências dos beduínos são a libertação dos presos e a suspensão dos tribunais militares; o fim dos maus tratos por parte das forças de segurança; o reconhecimento do direito dos beduínos sobre as terras nas quais vivem e a melhora das infra-estruturas e as oportunidades de trabalho no Sinai.

As reuniões devem se prolongar durante uma semana, segundo explicou à Efe Mustafa Singer, dirigente do partido Al-Tagamu nesta região.

Por enquanto, os beduínos decidiram adiar a conferência tribal anunciada para hoje até conhecer os resultados das negociações. EFE jfu/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.