Bebês de embriões congelados são mais saudáveis, dizem estudos

Três pesquisas sugerem que bebês que nasceram de embriões que foram congelados são mais saudáveis do que os demais. Os estudos, que foram apresentados em uma conferência americana sobre fertilidade em San Francisco, indicam que os embriões congelados tinham menos probabilidade de nascerem prematuros e abaixo do peso.

BBC Brasil |

Pesquisas anteriores já haviam afirmado que apenas os embriões mais fortes, que sobrevivem ao congelamento, são mais saudáveis.

Um dos estudos, realizado na Finlândia, afirma que bebês que nasceram de embriões não-congelados têm 35% mais chance de serem prematuros e 64% de terem um peso corporal menor, em comparação com embriões congelados.

Segundo outra pesquisa, da Universidade da Pensylvânia, na Filadélfia, os bebês nascidos de embriões não-congelados tinham 15% mais chance de morrer no nascimento, em relação aos embriões congelados.

Um terceiro estudo, do Royal Women's Hospital, de Melbourne, na Austrália, chegou a conclusões semelhantes.

Para os cientistas australianos, as descobertas podem levar as mulheres a preferirem o uso de embriões congelados no futuro.

No entanto, para o médico britânico Allan Pacey, da Universidade de Sheffield, a conclusão não é tão simples.

"Transferências de embriões congelados não são tão bem-sucedidas quanto as demais em termos de gravidez. Então talvez seja preciso pesar a saúde da criança contra as chances de sucesso", disse.

"Mas trata-se de uma pesquisa intrigante, que vai contra o que nós geralmente pensamos."

    Leia tudo sobre: bebê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG