Bebê pode ter morrido de gripe em N.York

Nova York, 19 mai (EFE).- O Departamento de Saúde de Nova York investiga hoje se a morte de um bebê de 16 meses ocorrida na segunda-feira é a segunda causada pela gripe suína nesta cidade, onde o subdiretor de uma escola pública morreu no domingo.

EFE |

Uma criança de 16 meses morreu na segunda-feira à noite no hospital nova-iorquino de Elmhurst após ter sido internada com febre alta, disse um porta-voz do hospital à imprensa.

Agora, as autoridades sanitárias do estado iniciaram uma investigação junto ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) que pode durar vários dias.

Um porta-voz do hospital, citado hoje pelo jornal nova-iorquino "Daily News", disse que os pais do bebê o levaram ao centro médico quando viram que a criança tinha dificuldades respiratórias e que, uma hora após a internação, foi declarado o óbito.

Também afirmou que o irmão do bebê, de 3 anos, e um primo de um ano também estão sendo tratados pelo centro médico com sintomas relacionados à gripe suína.

No mesmo hospital, estão sendo atendidas cerca de 200 pessoas em relação ao vírus A (H1N1), que já causou nos EUA outras seis vítimas fatais.

Se for confirmado que a morte do bebê foi devido à gripe suína seria a segunda por essa causa que ocorre em Nova York durante pouco mais de 24 horas.

No domingo à noite, morreu Mitchell Wiener, de 55 anos, que era subdiretor de uma escola pública do Queens que tinha sido fechada na semana anterior pelas autoridades diante de casos da gripe.

O número de infectados pela gripe suína nos Estados Unidos aumentou para 5.123 durante o último fim de semana, segundo dados do CDC, que na segunda-feira indicou que eram seis as vítimas fatais.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE emm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG