Bebê palestino morre após inalar gás lacrimogêneo israelense

Médicos citados pela imprensa local atribuem ao gás lançado para conter protestos árabes a morte de bebê de 14 meses

EFE |

Um bebê palestino morreu nesta sexta-feira ao inalar gás lacrimogêneo lançado pela polícia israelense para conter os protestos que se registraram em Jerusalém Oriental, segundo fontes médicas citadas neste sábado pela imprensa local.

As fontes médicas atribuem ao gás a morte de Muhamed Abu Sneneh, uma criança de 14 meses residente do bairro de Al Isawiya, onde na útlima quarta-feira aconteceram protestos da população árabe pela morte de um jovem palestino supostamente por disparos de um guarda de segurança israelense em Jerusalém Oriental.

Segundo a agência de notícias palestina "Ma'an", o porta-voz policial, Miky Rosenfeld, assegurou ao veículo que a força utilizada pelos agentes foi "mínima", e que não há informações oficiais sobre nenhuma morte.

Desde o incidente de quarta-feira houve distúrbios em vários bairros de Jerusalém Oriental, onde a polícia aumentou para três mil o número de agentes, especialmente em Isawiya e no campo de refugiados de Shuafat, nos quais se instalaram postos de controle que impediam a passagem por algumas ruas.

Na sexta-feira, dia sagrado muçulmano, a polícia israelense impediu o acesso de homens menores de 45 anos à Esplanada das Mesquitas, para evitar que acontecessem enfrentamentos após as rezas.

    Leia tudo sobre: mortebebêisraelpalestinosárabes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG