Um bebê prematuro que havia sido declarado morto pelos médicos de um hospital no Paraguai foi encontrado vivo horas depois de ser levado para casa para um velório.

A família havia recebido uma caixa e uma certidão de óbito. No documento, o bebê recebeu o nome de Angela Rossana Caceres.

O pai do bebê, Jose Alvarenga, disse que a família descobriu que o bebê estava vivo depois de ouvi-lo chorando na caixa onde ele havia sido colocado.

"Eu abri a caixa, tirei o bebê de dentro e ele começou a chorar", disse a tia do menino, Liliana Alvarenga. "Eu fiquei assustada e disse o bebê está chorando, ele está chorand ", afirmou. Foi então que a família descobriu também que o bebê era, na verdade, um menino.

O bebê está agora na unidade de terapia intensiva do mesmo hospital onde nasceu, e sua condição de saúde seria estável.

O chefe da unidade de pediatria do hospital, Ernesto Weber, disse que um médico não havia checado os sinais vitais do bebê de forma apropriada.

"Este é um caso pouco comum", disse Weber à agência de notícias AFP, acrescentando que será realizada uma investigação sobre o incidente.

Aida Notario, uma médica que trabalha na maternidade do hospital disse que enfermeiros e médicos tentaram ressuscitar o bebê por uma hora antes de declará-lo morto.

"O pulso dele estava tão baixo que não podia ser detectado", disse Notario.

Segundo os registros médicos, o bebê, que nasceu com 24 semanas, pesava apenas 500 gramas.

O menor bebê prematuro ao nascer já registrado foi um bebê americano que nasceu com menos de 22 semanas e pesava apenas 280 gramas.

Assista ao vídeo:

Leia mais sobre bebês

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.