BCs da Inglaterra e Europa anunciam cortes de juros

Os bancos centrais da Inglaterra e da Europa anunciaram cortes nas taxas de juros nesta quinta-feira para tentar impulsionar as economias da região. Na Inglaterra, a redução foi de 1,5 ponto percentual, trazendo a taxa para 3%, a mais baixa desde 1955.

BBC Brasil |

A redução, que surpreendeu especialistas, é a mais dramática desde um corte de 2 pontos percentuais feito em 1981. Esta é também a primeira vez que o banco cortou a taxa em mais de meio ponto percentual desde que se tornou independente, em 1997.

O Banco Central europeu, por sua vez, reduziu a taxa de juros em meio ponto percentual para 3.25%.

Os bancos vinham sofrendo pressão para realizar cortes significativos em meio ao temor de que e economia européia caminha em direção a uma recessão profunda.

Números da economia
"O Banco da Inglaterra está claramente preocupado com a possibilidade de uma recessão prolongada na Grã-Bretanha", disse o editor de economia da BBC, Hugh Pym.

"Os riscos de uma alta inflação agora evaporaram, e, por estar preocupado com uma queda da inflação para muita abaixo da meta, sentiu a necessidade de fazer este corte, que é muito maior do que o esperado."
O corte segue a divulgação de uma série de números nesta semana que trazem mais evidências de que as economias da Grã-Bretanha e da zona do euro estão sofrendo forte desaceleração.

Números do banco Halifax mostram que o preço de imóveis caiu mais 2,2% em outubro, trazendo a queda no último ano para 13,7%.

A atividade no setor de serviços, considerado a espinha dorsal da economia britânica, encolheu em outubro pelo sexto mês consecutivo.

Na zona do euro, dados divulgados nesta quarta-feira mostram que os gastos no setor do comércio caíram 0,2% em setembro comparados com agosto, e 1,6% se comparados com setembro de 2007.

Na segunda-feira, a Comissão Européia havia previsto que a área formada por 15 países quase não irá crescer em 2009, com crescimento de apenas 0,1%.

Mercados
Os cortes de juros vieram em um dia complicado para os mercados financeiros mundiais.

Na Ásia, as bolsas de valores fecharam o dia com fortes baixas, com o índice Nikkei do Japão encerrando o pregão em queda de 6,5% e o Hang Seng de Hong Kong fechando em queda de 7,1%.

Na Europa, as bolsas de Londres, Frankfurt e Paris também abriram o pregão em baixas de em média 4%.

Em Nova York, o índice Dow Jones fechou o pregão de quarta-feira em queda de 5,2%.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG