BC europeu corta juros pelo terceiro mês consecutivo

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira um corte recorde na taxa básica de juros de 3,25% para 2,5% nos 15 países que usam o euro como moeda oficial. A redução foi a maior nos dez anos de história do Banco Central Europeu.

BBC Brasil |

A taxa foi cortada pelo terceiro mês consecutivo, em mais uma tentativa da entidade para estimular a economia na zona do euro.

Os Estados membros da zona do euro são: França, Itália, Alemanha, Bélgica, Irlanda, Holanda, Luxemburgo, Espanha, Portugal, Eslovênia, Malta, Grécia, Áustria, Finlândia e Chipre.

Bancos centrais em todo o mundo estão cortando taxas de juros dramaticamente para tentar conter uma recessão mundial.

O Banco da Inglaterra também anunciou nesta quinta um corte da taxa de juros de 3% para 2%, e o Banco Central da Suécia reduziu sua taxa básica em 1,75 ponto percentual - para 2%.

Recessão

Estatísticas oficiais confirmaram que a zona do euro está em recessão, e os últimos dados econômicos são desanimadores.

"O BCE foi forçado a abandonar sua política monetária gradual com uma série de indicadores econômicos na zona do euro em queda livre", disse Jörg Radeke, economista do Centre for Economic and Business Research.

O presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, afirmou que a economia global deve permanecer fraca no ano que vem, assim como a demanda nos países da zona do euro.

Trichet acrescentou que turbulências nos mercados financeiros podem enfraquecer ainda mais a economia da zona do euro.

"O nível de incerteza permanece excepcionalmente alto", disse o presidente do BCE. Segundo Trichet, as pressões inflacionárias também estão diminuindo.

Novo corte?

Alguns analistas prevêem que o custo de empréstimos na zona do euro pode cair ainda mais.

"A recessão na zona do euro parece piorar a cada dia e, ao mesmo tempo, a pressão inflacionária não é mais uma preocupação", diz Carsten Brzeski, do ING Financial Markets.

Muitos países europeus anunciaram nos últimos dias planos de estímulo para ajudar o crescimento econômico.

Nesta quinta, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, anunciou um pacote de estímulo de 26 bilhões de euros no país.

Leia mais sobre juros

    Leia tudo sobre: juros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG