O Banco Central dos Emirados Árabes Unidos anunciou, neste domingo, a criação de um instrumento para oferecer mais liquidez a bancos do país. Bancos estrangeiros operando nos Emirados Árabes também poderão utilizar o recurso.

Na última quarta-feira, o conglomerado estatal Dubai World, responsável pela vasta expansão imobiliária do emirado, havia anunciado que atrasaria o pagamento de suas dívidas, avaliadas em US$ 58 bilhões - a maior parte da dívida do emirado, de US$ 80 bilhões.

A ameaça de calote sacudiu os mercados internacionais, que estavam ou ainda estão tentando se recuperar da crise global financeira iniciada com a crise de crédito do mercado imobiliário americano, em setembro de 2008.

Corrida aos bancos
O Banco Central também afirmou, em um comunicado, que o sistema bancário dos Emirados Árabes Unidos está mais sólido e com mais liquidez do que no ano passado.

Analistas acreditam que o anúncio tenha a intenção de evitar uma possível corrida aos bancos nos Emirados Árabes e de países do Oriente Médio nesta segunda-feira, após o festival muçulmano Eid al-Adha.

O Banco Central também afirmou que vai "escolher" como dar assistência a Dubai.

"Vamos avaliar os comprometimentos de Dubai e analisá-los caso a caso", disse um representante do governo, em Abu Dhabi, no sábado.

"Isso não quer dizer que Abu Dhabi vai subscrever todas as dívidas deles."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.