Governo prometeu mecanismos de denúncia para vítimas, assim como maior proteção a crianças mais vulneráveis

selo

Cerca de um terço das meninas da Tanzânia passaram por alguma experiência de violência sexual antes de completar 18 anos, segundo uma pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). A pesquisa afirma ainda que entre meninos, 13,4% sofreram violência sexual. 

A forma mais comum de abuso é o toque de forma sexual (no qual a criança é agarrada, tocada ou acariciada de forma inapropriada ou beliscada) seguido de tentativa de manter relação sexual.

Andy Brooks, do Unicef, disse à BBC que a pesquisa, realizada em uma parceria entre o fundo da ONU e o governo da Tanzânia, é uma das mais amplas a respeito do assunto e mostrou que o governo do país está pronto para enfrentar o problema.

"A Tanzânia é o primeiro país que teve a coragem de expor o alcance real do abuso de meninos e meninas", afirmou.

Denúncia

A pesquisa também descobriu que entre aqueles que tiveram relações sexuais antes dos 18 anos, 29,1% das mulheres e 17,5% dos homens relataram que foram obrigados a ter a primeira relação. Segundo o Unicef, isso significa que eles foram forçados ou coagidos a manter a relação sexual.

O ministro da Educação da Tanzânia, Shukuru Kawambawa, declarou que o governo está decidido a acabar com o abuso sexual no país. Ele afirmou que serão estabelecidos mecanismos de denúncia para as vítimas de abuso e o governo vai pedir que professores cuidem de crianças mais vulneráveis.

Segundo Andy Brooks, pesquisas parecidas serão feitas no Quênia, Ruanda, Malauí, Zimbábue e África do Sul.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.