TV estatal iraniana nega atentado contra Ahmadinejad

Segundo meios de comunicação da região, comboio no qual líder do Irã viajava teria sido alvo de ataque

BBC Brasil |

selo

Fontes do governo iraniano negaram nesta quarta-feira os relatos de que um comboio no qual viajava o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, teria sido alvo de um atentado a caminho de um comício.

Segundo relatos de meios de comunicação da região, o comboio de Ahmadinejad teria sido alvejado por uma granada quando se dirigia a Hamadan, no oeste do Irã, uma das mais antigas cidades do país. Segundo informou a emissora de televisão Al-Arabiya, baseada em Dubai, a granada teria atingido um veículo com jornalistas e membros do governo e teria deixado várias pessoas feridas.

AP
Fumaça sobe perto de veículo transportando presidente Mahmoud Ahmadinejad (no centro) durante sua chegada na cidade de Hamedan, a sudoeste de Teerã
A TV afirmou que Ahmadinejad teria escapado ileso do ataque e que uma pessoa teria sido presa pela tentativa de assassinato. Apesar disso, a TV estatal iraniana Press TV negou o ataque, citando uma fonte ligada à Presidência.

Fogos

A agência de notícias France Presse também cita um funcionário anônimo do governo iraniano, segundo o qual as explosões ouvidas próximas ao comboio teriam sido provocadas por fogos de artifício. Outra TV iraniana, Al-Alam, disse que os fogos de artifício teriam sido detonados para comemorar a passagem do presidente.

Mas numa indicação sobre a confusão em relação às informações sobre o incidente, a agência Reuters cita também fontes do governo que teriam confirmado o ataque contra o comboio de Ahmadinejad. O site conservador iraniano Khabaronline também relatou o suposto ataque e disse que o carro em que Ahmadinejad viajava estaria a cerca de cem metros de distância do local onde a granada teria explodido.

Segundo os relatos publicados pela mídia, Ahmadinejad teria continuado com o protocolo após o suposto ataque e se dirigiu à multidão presente em Hamadan, fazendo seu discurso que foi transmitido pelas emissoras locais.

    Leia tudo sobre: irãahmadinejadataquebomba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG