Tropas do Nepal foram fonte de surto de cólera no Haiti, diz ONU

Conclusões dos peritos contradizem declarações anteriores da ONU; mais de 4,5 mil morreram pela epidemia

BBC Brasil |

selo

AP
Homem toma banho dentro de acampamento para desabrigados em Porto Príncipe, Haiti (26/01/2011)
Uma investigação das Nações Unidas sobre o surto de cólera que atingiu o Haiti no ano passado apontou que um acampamento de tropas do Nepal que integram as forças de paz da ONU no país, conhecidas pela sigla Minustah, foi a provável fonte da epidemia.

As conclusões dos peritos contradizem declarações anteriores da ONU, que havia afirmado que as condições sanitárias no acampamento eram adequadas.

Mais de 4,5 mil pessoas morreram em consequência do surto de cólera, que ocorreu pouco após o terremoto devastador que matou mais de 300 mil pessoas no país em janeiro de 2010. Mais de 1 milhão ficaram desabrigados ou desalojados no Haiti por causa do tremor.

Sem punições

No entanto, o inquérito da ONU concluiu também que nenhum grupo ou indivíduo poderia ser responsabilizado pelo surto de cólera. A equipe formada por quatro investigadores da ONU, indicada pelo secretário-geral da entidade, Ban Ki-moon, concluiu que ''uma conjunção de fatores'' contribuiu para o surto da doença.

A investigação foi solicitada após terem surgido acusações por parte de haitianos de que os soldados nepaleses da Minustah seriam a fonte da epidemia, por causa de um vazamento nas latrinas de seu acampamento, na cidade de Mireblais, no centro do Haiti. Mas, segundo o relatório da ONU, o surto teve origem na ''contaminação ambiental com fezes".

O documento menciona as condições falhas de saneamento no campo da Minustah, dizendo que elas "não foram suficientes para evitar a contaminação fecal'' do sistema tributário que abastece o principal rio da região.

    Leia tudo sobre: haiticóleranepalmissão de paz da ONUterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG