Somali acusado de atacar cartunista que desenhou Maomé é condenado

Homem invadiu casa do dinamarquês Kurt Westergaard, 75 anos, autor de charges sobre o profeta

BBC Brasil |

selo

A Justiça dinamarquesa condenou nesta quinta-feira por tentativa de assassinato e terrorismo um somali que invadiu em janeiro de 2010 a casa do cartunista Kurt Westergaard, autor de charges sobre o profeta Maomé.

Mohamed Geele, de 29 anos, deve conhecer sua sentença na sexta-feira e pode receber a pena de prisão perpétua. O réu, que foi absolvido das acusação de tentar matar um policial, negou que quisesse assassinar o cartunista e disse que apenas queria assustá-lo.

AFP
O cartunista Kurt Westergaard, em foto de 2010
Westergaard, 75, teve a porta de sua casa, na cidade de Aarhus, arrombada por Geele. O somali estava armado com um machado e uma faca e gritou "você tem que morrer" e "você vai para o inferno", segundo depoimento do cartunista.

Desenhos

O artista dinamarquês, que estava acompanhado da neta de cinco anos no momento do ataque, se abrigou em um quarto existente na casa e não sofreu ferimentos. Geele tentou arrombar a porta do quarto, mas desistiu ao perceber a chegada de policiais, que atiraram no somali e o prenderam.

Em 2005, Westergaard desenhou, para o jornal dinamarquês Jyllands-Posten, charges do profeta Maomé, que em um dos desenhos usava uma bomba como turbante. A charge desencadeou uma grande onda de protestos no mundo muçulmano, que considera ofensivas as representações do profeta, e, em contrapartida, desencadeou debates sobre a liberdade de expressão.

Embaixadas dinamarquesas foram atacadas por muçulmanos em várias partes do mundo, e dezenas de pessoas morreram em manifestações. Westergaard passou então a viver sob proteção policial.

Autoridades dinamarquesas dizem que Geele é suspeito de ter ligações com a milícia radical islâmica somali Al-Shabab.

    Leia tudo sobre: dinamarcachargesMohamed GeeleKurt Westergaard

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG