Soldado americano é condenado por morte de civis afegãos

Calvin Gibbs, 26 anos, recebe prisão perpétua por liderar espécie de 'grupo de extemínio' de militares dos EUA

BBC Brasil |

selo

AP
Ilustração mostra Calvin Gibbs durante julgamento (31/10)
Um tribunal militar americano condenou nesta quinta-feira um soldado americano à prisão perpétua pela morte de três civis no Afeganistão.

O sargento Calvin Gibbs, de 26 anos, admitiu ter cortado e guardado dedos dos corpos dos homens como troféus de guerra.

No entanto, ele afirmou estar retribuindo ataques inimigos e disse que não premeditou os assassinatos.

Gibbs seria o líder de uma espécie de "grupo de extermínio" formado por soldados americanos.

Armas

Três dos outros réus no caso se declararam culpados em troca de penas reduzidas e dois testemunharam contra o sargento.

Os procuradores disseram ao júri que Gibbs e os outros soldados deixaram armas perto dos corpos para fazer com que eles parecessem combatentes. Mas o advogado de defesa do sargento disse que os outros três soldados conspiraram para culpá-lo por suas ações.

O júri deliberou por quatro horas antes de anunciar o veredito, que o declarava culpado de 15 acusações. Ele pode enfrentar a pena de prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

    Leia tudo sobre: euaafeganistãoguerraexército

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG