Respeito a prazo é desafio para sucesso de Olimpíada, diz ministra britânica

A ministra britânica Tessa Jowell, chefe da organização dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012, disse que o respeito aos prazos é um dos principais desafios para o sucesso do evento. A afirmação foi feita em resposta à pergunta da BBC Brasil sobre o que o Brasil poderia aprender com a experiência de Londres, que se prepara para sediar os próximos Jogos.

BBC Brasil |

"O maior desafio que você tem que vencer é demonstrar que podemos fazer (os Jogos) a tempo e dentro do orçamento", disse Jowell, que participou nesta quarta-feira de uma conferência que reuniu empresários britânicos e brasileiros em São Paulo.

A organização dos Jogos de Londres tem sido elogiada pelo andamento adiantado de suas obras.

Mas alguns projetos importantes que deveriam estar em funcionamento durante o evento britânico, como um novo sistema de alerta contra atentados e desastres naturais, por exemplo, não devem ficar prontos a tempo.

Atrasos
Segundo a ministra, para a organização de um evento como os Jogos Olímpicos, é preciso fechar cedo um orçamento que tenha um grande espaço para gastos imprevistos.

"Depois disso, é necessário ser brutal em fechar os objetivos e os prazos e evitar intromissões", disse Jowell, que nesta quinta-feira visita o Rio de Janeiro, onde se encontra com o ministro dos Esportes, Orlando Silva, e assina acordos de cooperação relacionados ao Jogos Olímpicos.

As declarações da ministra britânica foram feitas em um momento em que as obras em boa parte dos estádios que serão palco de outro grande evento esportivo que o Brasil sediará, a Copa do Mundo de 2014, estão atrasadas.

A situação dos prazos fez inclusive com que o ministro Orlando Silva, afirmasse no início de fevereiro estar "acendendo a luz amarela" em relação às obras dos estádios.

Segundo outro participante da conferência, José Bernasconi, presidente do Sinaenco (Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva), os atrasos podem comprometer as intenções de algumas cidades de serem sede da Copa.

"O Brasil está atrasado nos preparativos para a Copa. Talvez nem todas as cidades consigam atender a tempo aos requisitos da Fifa", diz Bernasconi, que, no entanto, afirma que ainda há tempo para que os projetos sejam finalizados dentro do prazo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG