Resgate de mineiros é acompanhado por mais de mil jornalistas

Resgate de mineiros despertou atenção da mídia internacional

BBC Brasil |

selo

A história dos mineiros soterrados se tornou um fenômeno midiático no Chile, atraindo a cobertura de pelo menos 220 meios de comunicação de 40 países e de 80 meios chilenos. O número de jornalistas e auxiliares credenciados para acompanhar o resgate é estimado entre 1,2 mil e 1,5 mil.

E esse número, estimado no domingo, continua subindo, disse à BBC Brasil a Secretaria de Comunicações do governo do Chile.

Segundo o órgão, a operação midiática não tem precedentes e parece ter atraído cobertura maior do que o terremoto de magnitude 8,8 que devastou o Chile em fevereiro. A câmara de turismo local informou ao jornal El Mercurio que os 3 mil leitos de hotéis da região estão lotados e que a presença de jornalistas fez explodir a demanda por restaurantes, carros para alugar e tradutores, entre outros serviços.

A correspondente da BBC Mundo na mina de San José, Valeria Perasso, relata que há "pelotões" de câmeras de vídeo e fotográficas no local e que parte das famílias já está saturada do assédio da imprensa.

Algumas ficaram mais reclusas e evitam o contato com jornalistas, outras chegam a pedir dinheiro em troca de entrevistas.

Até documentários estão sendo produzidos sobre a operação, de acordo com informações do jornal Washington Post.

Plataforma

Uma plataforma foi montada em um morro a 200 metros de distância da mina, de onde os jornalistas credenciados poderão acompanhar nesta terça-feira os desdobramentos do resgate.

Mas as imagens - foto e vídeo - da saída dos mineiros serão distribuídas exclusivamente pelo governo chileno, via fotógrafo e TV oficiais. Segundo a Secretaria de Comunicações, seria impossível que todos os veículos credenciados seguissem o processo in loco.

Há, também, interesse em preservar os mineiros, que podem estar emocional e fisicamente fragilizados após o resgate. Para enfrentar o circo midiático da superfície, os mineiros estão recebendo uma espécie de "media training" no subsolo, fornecido pela Associação Chilena de Segurança (ACHS).

Segundo o jornal chileno La Tercera, o gerente regional da ACHS, Alejandro Pino, deu aos mineiros aulas (por videoconferência) de oratória e postura durante entrevistas.

    Leia tudo sobre: chilemineiroscobertura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG