Programa de TV leva obesos para terapia de choque com 'superobesos'

Um programa da BBC está adotando uma "terapia de choque" com indivíduos obesos para convencê-los a perder peso

BBC Brasil |

selo

BBC Brasil
Anne, de preto, conseguiu emagrecer depois de conhecer Deloris
Big Meets Bigger (literalmente, 'Grande Encontra Maior') é uma série que leva obesos para lugares no exterior onde eles encontram "superobesos" e são alertados sobre os perigos do excesso de gordura. No mais recente episódio, os jovens Carley Brookes e Darran Mansfield, que pesam cada um entre 130kg e 140kg, são enviados para o Kuwait, um dos países com maiores níveis de obesidade do mundo.

Um dos países com renda per capita mais alta do mundo, o pequeno emirado tem 1 milhão de abastados que contam com a mão-de-obra de 2 milhões de imigrantes para fazer todo o trabalho duro. "Quem vem para o Kuwait ganha pelo menos dez quilos. Mesmo se você não quiser você ganha peso, porque você não tem que fazer exercício, sai de uma casa com ar-condicionado e vai de carro para um shopping center com ar-condicionado... aqui, você só queima gordura quando come", diz o guia dos jovens britânicos, o "superobeso mórbido" Aziz.

Pesando 200 kg e avesso a exercícios, Aziz é nascido e criado no Kuwait e está acostumado a um estilo de vida "suntuoso". "Não quero me privar de comer nada. Gosto de comida japonesa, coreana, batata frita, pizzas, chocolates, sonho, bolo... basicamente, tudo", diz. No entanto, Aziz tem como objetivo "perder duas pessoas" e "ficar perfeitamente saudável". No leito de morte, sua mãe, que faleceu de problemas decorrentes da obesidade antes de poder fazer a cirurgia de redução do estômago, pediu que ele fizesse a operação para evitar o mesmo destino.

Os jovens acompanham a jornada de Aziz durante os exames para fazer a cirurgia, conhecendo ainda a história de outros pacientes que enfrentam complicações ainda maiores decorrentes do excesso de peso. Como a de Salim, um homem de 39 anos de idade que pesa 300 kg e diz que vive uma vida de "alguém de 80 ou 90 anos de idade sentado em casa esperando a morte".

Os jovens ficam especialmente chocados com uma visita a uma clínica especializada em tratar diabetes em decorrência da obesidade. Um dos pacientes teve de amputar o dedo do pé, degenerado por conta de uma infecção que gangrenou por problemas de circulação.

Ao fim do programa, testemunhar um estilo de vida ainda mais sedentário que o seu funcionou como uma "terapia de choque" para os jovens britânicos. "(A experiência) me fez pensar que talvez eu deva considerar minha saúde mais que meu prazer pela comida. Ainda vou continuar gostando muito de comer, mas acho que talvez eu deva mudar as prioridades um pouco", afirma Darran, em determinado momento do programa. "Sinto-me mal em saber que eu poderia ter mudado as coisas muito antes, e não mudei. Causei muito estresse e preocupação à minha mãe e minha família com meu comportamento egoísta de só querer comer bobagem", disse Carley.

Resultados

A série, que está no quarto programa, já alcançou resultados palpáveis em uma das participantes. No primeiro episódio do "reality show", Anne Odeke viveu no Mississippi com as irmãs americanas Deloris e Diane, que pesam respectivamente 230kg e 140kg. Os trágicos efeitos da obesidade na vida das irmãs chocou a britânica.

"O momento mais incisivo para mim foi ir com Deloris e Diane a um cemitério da paróquia depois da missa", disse Anne à BBC após o programa ir ao ar. "Elas me mostraram os seus parentes que tinham morrido, muitos de doenças relacionadas à obesidade. Não sei por que, mas foi nesse momento que me dei conta de que eu precisava mudar minha vida, ou eu terminaria em uma caixa sob o chão por conta do meu peso."

Desde então, Anne diz que faz exercícios três vezes por semana, come porções de comida bem menores e tem evitado os pratos de massa com queijo nos quais costumava se esbaldar antes do período nos Estados Unidos. Ela contou que a experiência teve efeito também sobre sua família. "Meu irmão perdeu peso, meu pai perdeu peso, minha mãe faz mais exercício e Jon (o namorado) está mais consciente de seus hábitos alimentares e se exercita diariamente."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG