Primeiro voo chega a Bariloche desde erupção de vulcão em junho

Voo era um charter da empresa de turismo CVC que saiu de São Paulo com 180 turistas brasileiros

BBC Brasil |

selo

Um voo conseguiu aterrissar nesta segunda-feira na cidade argentina de Bariloche pela primeira vez desde que o vulcão chileno Puyehue entrou em erupção, no início de junho. A Emprotur (órgão de turismo que reúne os setores público e privado da cidade turística na Patagônia argentina) disse à BBC Brasil que o voo era um charter da empresa de turismo CVC que saiu de São Paulo com 180 turistas brasileiros e aterrissou no aeroporto internacional de Bariloche.

AFP
Funcionários do Aeroporto de San Carlos de Bariloche limpam cinzas de vulcão chileno (20/6)
"Estamos comemorando. É uma imensa alegria. Aterrissou o primeiro voo e todos aqui estamos comemorando. Está confirmado que estava lotado de brasileiros", disse um jornalista local à emissora de televisão TN, de Buenos Aires.

No entanto, a Emprotur diz que a nuvem de poeira emitida pelo vulcão chileno continua no espaço aéreo de Bariloche e é cedo para fazer previsões a respeito de quando o movimento no aeroporto da cidade será normalizado. A cidade fica a 40 km do vulcão.

Esquel

A aterrissagem foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil argentina (ANAC). A Agência de Notícias de Bariloche afirma que o destino do voo era a cidade de Esquel, na província de Chubut, a cerca de 350 km de Bariloche, mas as condições meteorológicas levaram os pilotos a pedir permissão para pousar na cidade turística.

Desde o início da crise em junho, o acesso a Bariloche tem sido realizado por voos ao aeroporto de Esquel, onde os turistas embarcam em ônibus ou vans até a cidade. Segundo dados oficiais, mais de 800 turistas brasileiros desembarcaram no domingo em voos em Esquel e chegaram a Bariloche após quatro horas de viagem por terra.

Brasileiros

A expectativa do setor oficial de turismo da cidade é de que a crise leve a uma diminuição dos turistas brasileiros em 30% nessa temporada, que começou na sexta-feira. De acordo com números da Emprotur e das autoridades brasileiras em Buenos Aires, Bariloche recebe 800 mil turistas por ano e, desse total, pelo menos entre 70 mil e 100 mil são brasileiros.

Mais de 50 mil deles chegam somente no inverno. Nos últimos dias, na tentativa de reverter os prejuízos provocados pelas cinzas vulcânicas, hotéis e restaurantes locais passaram a oferecer descontos de até 30% em seus preços para este inverno.

Autoridades da Câmara Argentina de Turismo disseram à BBC Brasil que "os brasileiros são fundamentais para nosso turismo como um todo, especialmente para Bariloche", e os principais pontos de esqui na cidade "estão habilitados".

A temporada está sendo considerada boa em termos de quantidade de neve, e a cidade já foi praticamente limpa das cinzas que caíram em junho e no início de julho, segundo a Emprotur. Na semana passada, alguns voos voltaram a ser suspensos nos dois principais aeroportos de Buenos Aires, Jorge Newbery (Aeroparque) e Ezeiza, em função das cinzas do vulcão. Mas as operações estão normalizadas em quase todo o país, à exceção, por exemplo, de Bariloche e Villa la Angostura.

    Leia tudo sobre: chilevulcãoargentinabarilochevulcão Puyehue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG