Premiê do Japão renuncia após oito meses no cargo

Líder japonês enfrentava forte pressão por não conseguir cumprir promessa de campanha de retirar de Okinawa base militar americana

BBC Brasil |

selo

O primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, apresentou nesta quarta-feira (horário local - noite de terça no Brasil) o seu pedido de renúncia ao cargo.

Hatoyama anunciou sua decisão em meio aos temores dentro de seu partido - o Partido Democrático - quanto à perspectiva de resultados negativos nas eleições previstas para julho.

O líder japonês enfrentava forte pressão por não conseguir cumprir a promessa de campanha de retirar da ilha de Okinawa a polêmica base americana que existe na região.

Hatoyama estava no poder há apenas oito meses, mas pesquisas indicam que ele estava perdendo popularidade nas últimas semanas.

Promessa

A queda nos índices de aprovação começou a ser registrada depois de Hatoyama recuar na promessa sobre Okinawa, após ser pressionado pelos Estados Unidos.

Meses depois de prometer em campanha que a base americana deixaria a ilha de Okinawa, o primeiro-ministro admitiu para os moradores da região que a mudança seria "impossível".

A retirada da base da ilha de Okinawa havia sido uma das principais promessas de Hatoyama durante a sua vitoriosa campanha nas eleições do ano passado.

A ampla vitória do Partido Democrático em 2009 marcou a segunda vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial que o Partido Liberal Democrata não manteve o poder.

No último fim de semana, após o recuo de Hatoyama sobre os planos para Okinawa, o Partido Social Democrata decidiu abandonar a coalizão de governo.

    Leia tudo sobre: premiêJapãoHatoyamaOkinawa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG