Polícia busca cobaia humana que tem apenas 36h de vida

Enfermeiro britânico de 35 anos participava de testes clínicos quando teve malária injetada em seu corpo

BBC Brasil |

selo

A polícia britânica corre contra o tempo para encontrar uma cobaia humana que desapareceu durante os testes e corre risco de morte se não aparecer nas próximas 36 horas.

BBC
Matthew Lloyd, 35 anos, participava de testes clínicos
Matthew Lloyd, um enfermeiro de 35 anos, participava de testes clínicos e teve malária injetada em seu corpo.

Na quinta-feira, Lloyd, que vive em Southampton, no sul da Inglaterra, faltou ao tratamento em Oxford. Ele ligou para o trabalho avisando que estava doente e desde então não foi mais visto.

A polícia deu início a buscas frenéticas para encontrar a cobaia humana, porque existe o risco de o enfermeiro vir a falecer em decorrência da doença se não for tratado com urgência. No domingo à noite, uma foto do enfermeiro foi divulgada para ajudar o público a identificá-lo.

"Mesmo o menor detalhe poderia se mostrar crucial na busca por Matthew para que ele possa receber a medicação que lhe salvará a vida", disse o detetive do caso, Dave Jackson.

Pistas

Segundo a imprensa britânica, os investigadores estão seguindo as pistas deixadas pela utilização do telefone celular do enfermeiro e os saques realizados em sua conta bancária. Os indícios são de que ele viajou em direção ao norte e pode ter estado em Birmingham, cerca de 200 quilômetros ao norte de Londres.

"Nossa preocupação com a saúde de Matthew é crescente porque ele precisa de medicação urgente", disse o detetive.

    Leia tudo sobre: cobaia humanapolíciatratamentobuscasreino unido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG