Pesquisas de boca de urna, divulgadas na noite de domingo, indicaram que os candidatos do partido do presidente Evo Morales, Movimento ao Socialismo (MAS), teriam vencido em cinco dos nove Departamentos (Estados) do país.


Segundo as pesquisas, o partido de Morales perdeu em regiões que já vinham sendo controladas pela oposição, como Santa Cruz, Tarija e Beni, mas conseguiu vencer nos Departamentos de La Paz, Oruro, Potosí, Cochabamba e Chuquisaca. Em Pando, os resultados indicavam empate técnico.

Os levantamentos da Captura Consulting e Ipsos foram divulgados pelas emissoras de televisão PAT e ATB e reproduzidos pelo site Red Erbol e pela Agência Boliviana de Informação, ABI, que é do governo.

A expectativa é de que a apuração oficial só seja concluída em duas semanas.

Evo acena para partidários ao chegar em seção eleitoral para votar
Evo acena para partidários ao chegar em seção eleitoral para votar

Vitória

No fim da noite de domingo, Morales destacou mais uma "jornada democrática" vivida pelo povo boliviano. "Antes eram governos ditatoriais e agora temos a convicção da realização das eleições", disse o presidente, reeleito em dezembro passado com 64% dos votos.

O pleito de domingo elegeu governadores, prefeitos e deputados para as assembleias departamentais como ficou estabelecido na nova Constituição do país, ratificada num plebiscito no ano passado.

No total, pouco mais de cinco milhões de eleitores compareceram às urnas para eleger 2,5 mil cargos, numa votação tranquila, segundo observadores da Organização de Estados Americanos (OEA).

Se as oposição, por um lado, perdeu pelo menos um Departamento para o partido governista, segundo as pesquisas, ela ganhou a prefeitura em seis das dez principais cidades do país (Potosí, Santa Cruz, Sucre, Tarija, Trinidad e La Paz).

O partido de Morales conquistou as prefeituras de Cobija, Cochabamba, El Alto e Oruro.

Esta eleição marcou ainda o fortalecimento de uma dissidência da base governista, o Movimento Sem Medo (MSM), cujo candidato Luis Revilla, teria vencido na cidade de La Paz, que fica no departamento de mesmo nome.

Ouvido pela BBC Brasil, o analista José Luis Galvez, da Equipos Mori, disse que hoje a oposição "não preocupa tanto o governo quanto as dissidências que surgem no centro da base governista", como é o caso do MSM.

A oposição manteve, segundo as pesquisas, seu bastião em Santa Cruz, onde costumam liderar a aversão aos projetos do governo central.

O candidato a governador de Santa Cruz, Rubén Costas, teria vencido com cerca de 50% dos votos.

Num discurso, ele disse que quer propôs um 'pacto nacional com o governo nacional e todos os bolivianos'. Costas é definido como o principal opositor a Morales.

Leia mais sobre Bolívia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.