Passageiros estavam no cockpit de avião que matou presidente da Polônia, diz Rússia

Pelo menos três não-tripulantes estavam no cockpit, segundo comissão que investiga as circunstâncias do acidente de 10 de abril

BBC Brasil |

selo

Pelo menos três passageiros se encontravam no cockpit do avião que caiu na Rússia, matando o presidente polonês Lech Kaczynski e outras 95 pessoas, segundo informações de uma comissão que investiga as circunstâncias do acidente.

Uma dessas pessoas teria sido identificada, mas a comissão, criada pelo governo russo, não quis fornecer mais detalhes.

AFP
Restos de avião de presidente polonês, Lech Kaczynski, é remontado em local não revelado para investigação de comissão russa

De acordo com o correspondente da BBC em Moscou, Rupert Wingfield Hayes, a comissão ainda não sabe o que provocou a queda do avião na cidade de Smolensk em abril, mas descartou as hipóteses de falha mecânica no avião, explosão, ataque terrorista e de problemas no equipamento do aeroporto.

Investigações preliminares tinham concluído que os pilotos do avião deveriam ter evitado tentar pousar em Smolensk por causa do mau tempo e das más condições de visibilidade.

Uma autoridade do controle de tráfego aéreo "alertou duas vezes que a visibilidade era de 400 metros e não havia condições para pousar", afirmou Alexei Morozov, chefe da comissão de investigação, segundo a agência de notícias Itar-Tass.

O avião presidencial Tupolev-154 caiu no oeste da Rússia em10 de abril, quando uma comitiva presidencial voava para uma cerimônia em homenagem a poloneses mortos pela polícia secreta do ditador soviético Josef Stalin em Katyn, durante a 2ª Guerra Mundial.

Além do presidente e sua esposa, os chefes dos três braços das Forças Armadas e diversos líderes políticos da Polônia morreram no acidente.

    Leia tudo sobre: PolôniaRússiaacidente aéreoaviãoinvestigação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG