Para Hillary, Brasil ainda tem "papel importante" quanto ao Irã

Para a secretária de Estado norte-americano, ao rejeitar as sanções, país deixou as "portas abertas" com os iranianos

BBC Brasil |

selo

A secretária de Estado americana Hillary Clinton disse que Brasil e Turquia ainda ainda podem desempenhar um papel importante na futura diplomacia nuclear com o Irã. Ambos os governos, que são membros rotativos e sem direito a veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas, votaram contra a quarta rodada de sanções contra o Irã aprovadas nesta quarta-feira.

"Na contínua aproximação diplomática com o Irã, penso que a Turquia e o Brasil continuarão a desempenhar um papel importante", afirmou Clinton à jornalistas em Bogotá, onde se reuniu com o presidente colombiano Álvaro Uribe.

Clinton disse que tanto o Brasil como a Turquia podem ter deixado as "portas abertas" com Irã por terem votado "não" às sanções aprovadas por 12 dos 15 membros do Conselho de Segurança. O Líbano se absteve.

Punição

A secretária de Estado americana disse que as sanções podem "interferir" na ambição nuclear iraniana. Ao mesmo tempo, Clinton disse que a medida não visa "punir" o Irã e sim "acabar com as dúvidas" relacionadas ao programa nuclear de Teerã. "Nosso objetivo não é punir o Irã. Nosso objetivo é acabar com as dúvidas e questões sobre a finalidade do programa nuclear do Irã e para impedi-lo de obter armas nucleares, uma meta que é amplamente aceita pela comunidade internacional", disse Clinton . Clinton disse esperar que as novas sanções, que ampliam medidas já em vigor, como a proibição de venda de várias categorias de armamento pesado ao Irã, incluindo helicópteros de ataque e mísseis - dificultem a continuidade do programa nuclear de Teerã e que obrigue o Irã a voltar às negociações.

"Nós podemos, nós acreditamos que devagar é possível interferir e tornar ainda mais difícil a continuidade de seu programa nuclear por meio dessas sanções", disse Clinton. "Ao mesmo tempo, queremos que eles voltem à mesa de negociação." Clinton disse que pode haver diferentes formas de influenciar alguns líderes iranianos, os quais, segundo ela, têm dúvidas sobre a unidade em torno à questão nuclear. "Há diversidade de opiniões dentro da direção", disse.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu nesta quarta-feira às sanções impostas pelo Conselho de Segurança ao qualificá-las como "um equívoco" ocasionado pela "birra" dos "donos do Conselho".

    Leia tudo sobre: iGturquiabrasilirã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG