Paquistão: Pelo menos sete morrem em ataque contra consulado americano

Pelo menos sete pessoas morreram em ataques ocorridos nesta segunda-feira contra o consulado americano na cidade de Peshawar, no noroeste do Paquistão. Entre eles estavam quatro militantes e três seguranças, informou a polícia paquistanesa à BBC.

BBC Brasil |

Houve várias explosões na área próxima ao consulado e prédios desabaram. Após o atentado, houve uma batalha entre a polícia e militantes armados.

A principal facção do Talebã paquistanês assumiu responsabilidade pelos atentados.

Eles ocorreram horas após pelo menos 43 pessoas terem sido mortas em um ataque suicida no distrito do Baixo Dir, a cerca de 80 km de distância de Peshawar.

Investigadores suspeitam que os dois ataques tenham sido coordenados.

'Grande preocupação'
Não há relatos de mortes de cidadãos americanos e não está claro se o prédio do consulado sofreu danos.

A Casa Branca condenou o ataque e expressou "grande preocupação".

De acordo com as autoridades paquistanesas, os ataques foram bem organizados, mas a ordem já foi restabelecida.

O correspondente da BBC em Islamabad, Shoaib Hasan, disse que esse foi o primeiro ataque de sucesso contra um alvo dos Estados Unidos no Paquistão nos últimos quatro anos.

Em 2006, um diplomata americano foi morto por um carro bomba perto do consulado americano em Karachi, dias antes de uma visita ao país do então presidente americano, George W. Bush.

Peshawar, na fronteira das regiões tribais do Paquistão, tem sido alvo de frequentes ataques de militantes islâmicos.

Segundo analistas, os ataques seriam uma resposta a uma grande operação de segurança lançada na região na semana passada.

Manifestação
O ataque anterior, no distrito de Baixo Dir, ocorreu durante uma manifestação organizada pelo Partido Nacional Awami, de tendência nacionalista e secular e que se opõe fortemente ao Talebã e a outros militantes islâmicos.

Centenas de pessoas participavam da manifestação.

Funcionários dos serviços de emergência ainda estão procurando mais vítimas sob os escombros. Até o momento, foi confirmada a morte de 43 pessoas.

Dezenas de líderes locais foram mortos por militantes durante os dois anos em que o Talebã controlou os distritos de Swat, Dir e Buner, até que, no ano passado, forças do governo retomaram o controle da região.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG