Paquistanês com traços de explosivos é preso na embaixada dos EUA no Chile

Mohammad Saif Ur Rehman, de 28 anos, é detido após sistemas de segurança detectarem substâncias explosivas

BBC Brasil |

selo

Um cidadão paquistanês foi detido no Chile quando tentava entrar na embaixada dos Estados Unidos em Santiago com traços de explosivos em suas mãos, telefone celular, bolsa e documento de identidade.

A polícia chilena informou que Mohammad Saif Ur Rehman, de 28 anos, foi detido quando os sistemas de segurança da embaixada detectaram as substâncias explosivas. Rehman tinha ido à embaixada para renovar seu visto, de acordo com o jornal chileno El Mercurio.

A polícia realizou buscas no alojamento de estudantes onde Rehman morava, no centro da capital chilena. A polícia levou um computador e roupas dele para análise.

Interpol

Ainda na noite de segunda-feira a Interpol enviou os dados de Rehman para sua sede na França e também para o Paquistão, para verificar se a identidade dele era verdadeira. Os policiais de Santiago informaram que a situação de Rehman no Chile estava legalizada e não existia nenhum mandado internacional contra ele.

Segundo o El Mercurio, Rehman nasceu em Islamabad e chegou em janeiro ao Chile. O estudante fez um curso de turismo e estava fazendo um estágio em um hotel de Santiago.

De acordo com uma mulher que conhecia o estudante, ele era religioso e frequentava uma mesquita local.

A prisão de Rehman no Chile ocorre dias depois de um cidadão americano, nascido no Paquistão, ter sido indiciado pela tentativa de explosão em Times Square, Nova York, do dia 1 de maio.

    Leia tudo sobre: estados unidospaquistãoterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG