Papa diz que camisinha é aceitável em 'certas ocasiões'

Em livro que será lançado na terça-feira, Bento 16 diz que camisinha pode ser um caminho para reduzir contaminação pela Aids

BBC Brasil |

selo

Em 2009, Bento 16 disse que a camisinha era um risco à saúde pública. Agora, diz que o uso do preservativo é aceitável "em certas situações", segundo um livro a ser publicado na próxima terça-feira. Numa série de entrevistas dadas a um jornalista alemão, o papa afirmou que o preservativo pode reduzir o risco de infecção pelo vírus HIV por, por exemplo, em uma prostituta.

Reuters
Papa em foto deste sábado, durante nomeação de cardeais, no Vaticana. Bento 16 diz que camisinha pode reduzir contaminção pela Aids

O L'Osservatore Romano, jornal do Vaticano, publicou trechos das entrevistas neste sábado. O livro, sem lançamento previsto no Brasil, se chamará "Light of the World: The Pope, the Church and the Signs of the Times" (Luz do Mundo: o Papa, a Igreja e os Sinais dos Tempos).

As afirmações parecem aliviar a postura linha-dura da Igreja Católica em relação à contracepção - que até então, a insituição condenava o uso de qualquer método contracecpcional.

Quando questionado se a Igreja Católica era "fundamentalmente contra o uso de camisinhas", o papa teria dito: "Ela certamente não a vê como uma solução real e moral. (...) Em alguns casos, quando a intenção é reduzir o risco de infecção, ela pode todavia ser um primeiro passo no caminho para uma outra sexualidade, mais humana."

O papa citou o exemplo do uso de camisinha por prostitutas como um "primeiro passo no sentido da moralização", ainda que as camisinhas "não sejam realmente o caminho para lidar com o mal da infecção pelo HIV".

Bento 16 disse que a "obsessão quanto à camisinha implica a banalização da sexualidade", o que tornaria o sexo não mais uma expressão do amor, "mas somente uma espécie de droga que as pessoas administram a si mesmas".

A posição da Igreja sobre métodos de contracepção tem gerado críticas à instituição, principalmente após a Aids se alastrar pelo mundo.

Numa visita a Camarões no ano passado, o Papa disse que o uso de camisinhas punha em risco a saúde pública e ampliava o problema da Aids, em vez de ajudar a conter a doença. Muitos países europeus o criticaram pela declaração. Médicos e especialistas dizem que a camisinha é um dos únicos métodos capazes de frear a disseminação do vírus HIV.

    Leia tudo sobre: papacamisinhacontracepçãoaids

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG